TCE libera licitação para avenida




A avenida terá 15 quilômetros de extensão, entre Braz Cubas e Jundiapeba, e o projeto contempla obras na Av. Tenente Onofre / Foto: Arquivo

Depois de quase 60 dias de suspensão, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) liberou nesta semana a Prefeitura de Mogi das Cruzes a seguir em frente com a concorrência pública para contratação do Corredor de Transporte/Avenida Guilherme Giorgi, que corta os distritos de Jundiapeba e Braz Cubas, margeando a linha férrea. O edital da licitação está sendo republicado hoje (29) e a meta da Administração Municipal é começar a obra ainda neste ano, com entrega da primeira pista até o final de 2016. O investimento é estimado em R$ 135 milhões e inclui verbas federais, estaduais e municipais.


“Para nossa felicidade, a impugnação feita pelas empresas não encontrou amparo no Tribunal de Contas, que analisou o nosso edital e liberou todas as exigências feitas pela Prefeitura para a obra. Com isso, estamos republicando o edital e vamos começar essa obra ainda neste ano. Se ganhar uma empresa boa, ela consegue entregar a primeira pista em 12 meses”, comemorou o prefeito Marco Bertaiolli (PSD), ao lembrar que a construção da Avenida Guilherme Giorgi é um projeto pelo qual vem trabalhando desde a sua chegada na Prefeitura, há quase sete anos. “O mais importante é que foi mantida a metodologia construtiva exigida para as pontes, que é o que algumas empresas estavam questionando porque não possuem expertise nisso. O Tribunal concordou que o método exigido pela Prefeitura é o mais indicado para o terreno e também o mais econômico”, detalhou.

A abertura dos envelopes com a documentação das participantes será no dia 5 de outubro. Ganhará a empresa que atender as exigências técnicas do projeto e oferecer a melhor proposta comercial. A obra tem prazo de execução de 18 meses. São 15 quilômetros de intervenções, entre Jundiapeba e a Vila Industrial. O investimento inclui a recuperação/duplicação da Avenida Tenente Onofre Rodrigues de Aguiar, na Vila São Francisco.

No caso da Guilherme Giorgi, a nova avenida será paralela à linha do trem (no lado direito dos trilhos) e é a principal aposta do Município para melhorar a ligação com Suzano e ao Trecho Leste do Rodoanel, servindo como alternativa à Rodovia SP-66. São seis quilômetros de avenida com pistas duplas, canteiro central e ciclovia. A via sairá da Perimetral, em Braz Cubas, e fará a interligação com a Jorge Bei Maluf, na divisa de Jundiapeba e Suzano. O projeto contempla, ainda, a duplicação do trecho já existente da via, próximo à estação ferroviária de Jundiapeba.

Por sua vez, o corredor de ônibus, uma ligação expressa de Jundiapeba até o Centro, vai circular junto ao canteiro central da Guilherme Giorgi. Ao todo, o corredor terá 15 quilômetros de extensão, englobando também a Avenida Tenente Onofre e as Ruas Cavalheiro Nami Jafet e Flaviano de Melo, chegando no Terminal Central.

A licitação da Guilherme Giorgi foi suspensa pelo Tribunal de Contas no final de junho passado, na véspera da abertura dos envelopes com as documentações e propostas, após representação de empresas interessadas em participar do certame. (Mara Flôres)

Comente com o Facebook: